Please enable JavaScript to view the page content.
Logo da Universidade do Estado de Santa Catarina

Notícia

31/07/2019-19h32

Ceart Aberto à Comunidade tem edição temática da cultura japonesa em 10 de agosto na Udesc

 
Grupo Shimadaiko realiza apresentação e oficina de taiko - tambor japonês durante o evento. Foto: Laís Moser
A cultura japonesa será tema da próxima edição do evento “Ceart Aberto à Comunidade”, em 10 de agosto, sábado, no Centro de Artes (Ceart) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). Com mais de 30 atividades gratuitas, a edição especial Bon Odori – Pela Vida, pela Paz, Hiroshima Nunca Mais! reunirá uma programação para adultos e crianças no campus do Itacorubi, em Florianópolis.

Entre as atividades, palestra sobre o significado das estampas dos quimonos e diversas oficinas temáticas (shuji – caligrafia japonesa; ikebana – arranjos florais; taiko – tambores japoneses; furoshiki – embrulho japonês; bordados sashiko e borocomo; formas de vestir quimono; encadernação manual e costura japonesa; respiração e equilíbrio mente-corpo).

Haverá um espaço zen especialmente montado no deck da Udesc Ceart com aplicação de quick massagem e reiki. E nesta edição do evento, o Espaço Criança desenvolverá atividades lúdicas relacionadas à cultura japonesa – oficina de origami, confecção de esculturas em papel e oficina de mangá.

Cerimônia zen budista, cerimônia do chá e outras atividades artísticas também integram a programação, como apresentação musical de taiko, escrita de nomes em japonês, apresentação de dança Bon Odori e apresentações teatrais. Exposições, feiras de culinária, arte, moda e artesanato da cultura japonesa completam a programação do evento.

Confira o cartaz com a programação completa. O evento ocorre no último sábado de cada mês e é organizado pelo programa de extensão Ceart Vivo!, coordenado pela Direção de Extensão da Udesc Ceart. Esta edição conta com realização conjunta do grupo Nipocultura e apoio da Fundação Japão em São Paulo.

Mais informações pelo site do evento, facebook, instagram e pelo e-mail ceartaberto@gmail.com.

Bon Odori – Pela Vida, pela Paz, Hiroshima Nunca Mais!

Bon Odori (em japonês: em japonês O-bon [お盆] ou simplesmente Bon [盆]) é um festival que ocorre anualmente durante o verão, sempre após o pôr do sol, pois prevalece a crença de que os espíritos somente saem durante a noite. O Bon Odori é um festival de tradição budista que tem as suas origens na China e no qual celebram-se as almas dos antepassados com danças em grupo e levando-se lanternas acesas saudosamente lembrando da sabedoria dos antepassados.

Apesar de análogo ao dia dos finados, durante o Bon são tocadas músicas tradicionais alegres e, sobretudo, predomina um clima de jovialidade, gratidão e participação geral. Muitas famílias aproveitam a oportunidade para se reencontrarem durante o Bon, voltando das grandes cidades aos seus lugares de origem.

Programação

> Palestra


  • O significado das estampas dos Quimonos | 10h
Sinopse: As estampas dos quimonos revelam as estações do ano, a classe social, o gênero, a ocasião. Nada na estampa é por acaso.
Local: Auditório do Bloco Amarelo (BAM) da Udesc Ceart.
Público-alvo: Acadêmicos, pessoas ligadas à moda, simpatizantes da cultura japonesa
Ministrante: Chizuru Shimizu é bacharel em Alimentação e Nutrição pela Universidade de Gunma, foi membro da equipe para difusão de melhoramento de vida na Província de Saitama; possui qualificação federal de técnico especializado e hábitos alimentares pelo Ministério da Agricultura, Florestas e Pesca do Japão.

> Oficinas


  • Jogos de Tabuleiro | 13h30 às 17h
Sinopse: Nesta atividade são apresentados os jogos de tabuleiro como uma forma de diversão social para amigos e familiares, independente de características ou particularidades, onde todos estão aptos em se integrarem e participarem de momentos de diversão lúdica.
Local: Entrada da Udesc Ceart
Público-alvo: A partir dos 7 anos de idade
Vagas: Conforme disponibilidade de mesa no momento
Necessidades dos participantes: Eventualmente celular ou bloco de notas para marcação de pontuação, se desejar
Ministrante: Fernando Artur Mariano e Felipe Artur Mariano. Os irmãos possuem amplo conhecimento em diversas mecânicas de jogos de tabuleiro e RPG, sendo capazes de instruir e aconselhar sobre regras e mecânicas para melhor aproveitamento do que será jogado.

  • Shuji | 14h às 15h
Sinopse: É a caligrafia pura ensinada nas escolas primárias. Nesta oficina serão abordadas as três escritas japonesas: katakana, hiragana e kanji e cada participante escreverá seu próprio nome em silabário japonês.
Local: Sala Teatro Educação - Departamento de Artes Cênicas (DAC) da Udesc Ceart
Público-alvo: A partir de 7 anos
Vagas: 20.  Inscrições no local a partir de 1h antes do início da atividade
Necessidades dos participantes: Papel, pincel e tinta (serão fornecidos pela organização evento)
Ministrante: Iochihiko Kaneoya é formado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP) e pesquisador da cultura japonesa. Escreveu artigos sobre diversos temas da cultura japonesa, incluindo “O Futuro da Escrita Ideogramática”, “O Ideograma como Linguagem”, “A civilização que inventou o Ideograma”, “O ideograma e a língua japonesa”, entre outros.

  • Ikebana | 14h às 15h
Sinopse: Ikebana ou Kado é a arte do arranjo floral. Em contraste com a forma decorativa de arranjos florais que prevalece nos países ocidentais, o arranjo floral japonês cria uma harmonia de construção linear, ritmo e cor. Enquanto que os ocidentais tendem a pôr ênfase na quantidade e no colorido das cores, os japoneses enfatizam os aspectos lineares do arranjo. A estrutura de um arranjo floral japonês está baseada em três pontos principais que simbolizam o céu, a terra e o ser humano.
Local: Sala de Cenografia - Departamento de Artes Cênicas (DAC) da Udesc Ceart
Público-alvo: Adulto
Vagas: 8.  Inscrições no local a partir de 1h antes do início da atividade
Necessidades dos participantes: Tesouras, vasos para ikebana, kenzan, flores, galhos, folhagens (serão fornecido pela organização do evento)
Ministrante: Francisca Sato Kumada formou-se pela Escola de Ikebana Ohara Ryu no Japão em 1992. Participa nos eventos da Associação Nipo Catarinense com  workshops, decoração de festas e casamentos.

  • Como vestir Yukata | 14h às 15h

Sinopse: Yukata é uma vestimenta japonesa de verão, é uma forma casual de quimono usada por homens, mulheres ou crianças, normalmente feita de tecido de algodão ou tecido sintético. Ela normalmente é amarrada ao corpo através de um obi (cinto feito de tecido).
Local: Sala Básica 1 - Bloco Amarelo (BAM) da Udesc Ceart
Público-alvo: Livre
Inscrições: No local a partir de 1h antes do início da atividade
Ministrante: Chizuru Shimizu é Bacharel em Alimentação e Nutrição pela Universidade de Gunma, foi membro da equipe para difusão de melhoramento de vida na Província de Saitama; possui qualificação federal de técnico especializado e hábitos alimentares pelo Ministério da Agricultura, Florestas e Pesca do Japão.
 

  • Encadernação Manual - Costura Correntinha e Costura Japonesa Asa-no-ha Toji | 14h30 às 16h

Sinopse: A proposta dessa oficina é ensinar dois modelos básicos de encadernação: costura correntinha, que permite uma abertura total do caderno, perfeita para encadernar pequenos volumes como revistas e pequenos livros e, também, será ensinado um modelo da costura japonesa, ideal para folhas soltas. A oficina parte do princípio que entender a construção desses objetos se faz necessária como forma de pensar suas diversas aplicações em projetos técnicos, artísticos, etc, assim como para entender outras costuras.
Local: Sala Básica 2 - Bloco Amarelo da Udesc Ceart
Público-alvo: A partir de 14 anos
Vagas: 10. Inscrições no local a partir de 1h antes do início da atividade
Necessidades dos participantes: Estilete com lâmina nova, lápis ou lapiseira, régua de metal
Ministrante: Joana Amarante é artista visual e professora de encadernação. Mestre em Teoria e História das Artes Visuais pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais na Universidade do Estado de Santa Catarina (PPGAVUdesc) e graduada em Licenciatura em Artes Plásticas pela mesma instituição. Atua no ensino de encadernação manual desde 2011, dando cursos em loja de papéis e em seu ateliê.
 

  • Aprendendo a respirar: equilíbrio mente-corpo | 14h30 às 15h30 e das 15h30 às 16h30

Sinopse: O estresse provoca alterações psicofisiológicas no corpo e a oficina propõe que os participantes sejam mais saudáveis aprendendo a controlar sua respiração através do biofeedback cardiorrespiratório (VFC Biofeedback) para reduzir as respostas desnecessárias ao estresse em seu corpo.
Local: Deck da Udesc Ceart
Público-alvo: 12 a 17 anos
Vagas: 10. Inscrições no local a partir de 1h antes do início da atividade
Ministrante: Emilio Takase possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina, mestrado e doutorado em Psicologia (Psicologia Experimental) pela Universidade de São Paulo. Atualmente é professor da UFSC. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicologia do Esporte e Exercício e Psicologia Cognitiva, atuando principalmente com enfoque na Neurcociência Cognitiva. Os temas das pesquisas em PsicoNeuroFisiologia: psicologia do esporte e exercício, cognição, ansiedade, desempenho cognitivo, funções executivas.
 

  • Taiko | 15h às 15h30

Sinopse: Taiko (tambor japonês) é um instrumento de percussão.
Local: Espaço 1 - Departamento de Artes Cências (DAC) da Udesc Ceart
Público-alvo: Público geral
Vagas: 20. Inscrições no local a partir de 1h antes do início da atividade
Ministrante: Shimadaiko é o grupo de taiko – tambores japoneses – de Florianópolis. Com início em 2005, já se apresentou diversas vezes em vários lugares da ilha, como e em outras cidades, como Itajaí e Blumenau. O nome do grupo, Shimadaiko, significa justamente ‘taiko da ilha’. Nas músicas os tambores são tocados de maneiras e posturas diferentes, pois o taiko é uma arte audiovisual, onde os movimentos contam para compor a beleza da apresentação, enquanto o som forte fala ao coração.
 

  • Furoshiki | 15h às 15h40

Sinopse: É a arte de embrulhar em tecido. Uma tradição japonesa que surge na Era Edo para levar roupas para os banhos públicos (ofurô). Na última década esta tradição ganha força com o conceito de sustentabilidade, substituindo sacolas plásticas e embalando presentes. Uma arte tradicional e centenária japonesa - com um tecido quadrado, é possível embalar qualquer coisa, de um livro até engradados de bebidas, além de fazer bolsas para levar à praia, mercado ou passeios variados.
Local: Sala de Cenografia - Departamento de Artes Cênicas (DAC) da Udesc Ceart
Público-alvo: A partir de 12 anos
Vagas: 15. Inscrições no local a partir de 1h antes do início da atividade
Necessidades dos participantes: Tecidos quadrados (serão fornecidos pela organização do evento)
Ministrante: Hisae Yagura Kaneoya é formada em Publicidade e Propaganda pela Faculdades Integradas Alcântara Machado e em Biblioteconomia pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). Administra o Nipocultura de 2008 até a presente data. Foi Diretora Cultural da Associação Nipo-Catarinense de 2004 a 2008; Secretária da Federação das Associações Nikkeys de Santa Catarina (Fansc) de 2008 a 2010 e de 2014 a 2018.
 

  • Bordados Sashiko e Boro | 16h às 17h

Sinopse: Sashiko é uma forma de costurar camadas de tecidos, tradicionalmente utilizados para reforçar roupas de agricultores e pescadores. De maneira geral era usado o tecido na cor azul escuro ou índigo, por ser acessível à população de baixa renda. Esta técnica passou de geração em geração como um trabalho manual do cotidiano. Hoje, tornou-se uma técnica com valor estético.
Local: Sala Básica 2 (BAM)
Público-alvo: A partir de 12 anos
Vagas: 15. Inscrições no local a partir de 1h antes do início da atividade
Necessidades dos participantes: Será fornecido 1 kit de bordado sashiko. Em contrapartida, a oficina solicita a doação de calça jeans fora de uso ou qualquer objeto que, dentro de casa não tenha mais utilidade, mas que poderá ser útil para alguém.
Ministrantes: Marisa Inumaru Mallmann, Eneida Soares de Macedo e Silvana Becker
 

  • Bon Odori | 16h às 17h

Sinopse: Originalmente, as danças de roda japonesas são chamadas de Bon Odori. Bon da palavra “Obon”, que é o equivalente ao nosso “Finados”, Odori, que significa dança. Essas danças, em geral, são oferecidas no mês de agosto, quando se celebra o “Obon”. É momento de volta para sua terra natal, celebrar e agradecer os antepassados pela vida. Através deste ritual, acredita-se no retorno do espírito dos antepassados para suas casas, como uma oportunidade de reencontro e ao final desta celebração, é feito um ritual de despedida para que os espíritos voltem para seu lugar de descanso. No Brasil, o país com o maior número de japoneses fora do Japão, estas manifestações acontecem em todos os eventos ligados à cultura japonesa, independente da época do ano. A intenção é celebrar juntos.
Local: Entrada da Udesc Ceart
Público-alvo: Todos os interessados
Ministrantes: Eliane Mizumoto Fujita atuou com Danças Circulares, em Curitiba, por 10 anos, onde desenvolveu trabalhos ligados à Dança Circular de vários povos. Shimadaiko é o grupo de taiko – tambores japoneses – de Florianópolis. Com início em 2005, já se apresentou diversas vezes em vários lugares da ilha, como e em outras cidades, como Itajaí e Blumenau.
 

> Espaço Criança


  • Oficina de Origami | 13h30 às 16h

Sinopse: Origami (ori - dobrar e kami - papel) é a arte japonesa de se dobrar o papel. Segundo alguns estudiosos do origami, o costume de dobrar papéis é tão antigo quanto o surgimento do papel na China, há aproximadamente 1800 anos. No Japão, o papel foi introduzido entre os séculos 5 e 6 por monges budistas chineses e era considerado um artigo de luxo. Desta forma, no início a arte do origami era executada apenas pela nobreza. No período Edo (1600-1867) a prática se estendeu às mulheres e crianças e a partir de então foi incluída como matéria escolar. O origami exercita a paciência, a humildade, a simplicidade, a dedicação e a habilidade manual e intelectual. Como em toda arte japonesa, a dobradura tem que ser única, decisiva. Se errarmos, como na vida, o vinco ficará para sempre. A prática desta arte nos ensina a vivenciar intensamente cada ato, a valorizar o momento, a ter controle sobre si mesmo.
Local: Tenda na Entrada da Udesc Ceart
Público-alvo: A partir de 5 anos
Necessidades dos participantes: Papel, cola, tesoura (serão fornecido pela organização do evento)
Ministrantes: Yuina Takase Baba formou-se em 2009 em Design de jogos e entretenimento digital. Guilherme Beraldo Pizza cursa ilustração e é voluntário ministrando oficina de origami e expondo suas peças desde 2015.
 

  • Confecção de esculturas em papel - dragões voadores, ikebanas, kirigamis | 13h30 às 16h


Sinopse: Kirigami é a arte tradicional japonesa de recorte de papel. Com essa técnica é possível criar representações de objetos dos mais variados. Nesta oficina será aplicada essa técnica em três modalidades tradicionais: dragões voadores (Koinobori é um costume do povo japonês de comemorar o Dia dos Meninos no dia 5 de maio hasteando birutas em forma de carpa), ikebanas (arte de montar arranjos de flores, com base em regras e simbolismo preestabelecidos), Kirigami escultural (técnicas variadas).
Local: Tenda na entrada da Udesc Ceart
Público-alvo: A partir de 8 anos ou acompanhados pelos pais
Ministrante: Demetrius Sorgon atuou na capacitação de agentes comunitários, no trato da saúde mental e da arte terapia, Ministrando oficinas em Serviço de Saúde Mental, escolas e centros culturais. Durante os últimos 12 anos o Kirigami fez parte do repertório de suas oficinas de arte educação, educação ambiental e formação continuada na rede pública e privada.
 

  • Oficina de desenho em quadrinhos (Mangá) | 13h30 às 16h

Local: Tenda na entrada da Udesc Ceart
Público-alvo: Crianças de 05 a 13 anos
Necessidades dos participantes: Folha, lápis, borracha (serão fornecido pela organização do evento)
Ministrantes: Saulo Satoshi Botomé (formado em Design Gráfico pela Udesc, professor de mangá de 2009-2015) e William de França Benitez e Allison Thomé (formados no curso de desenho mangá pela Associação Nipo-Catarinense)
 

> Espaço Zen


  • Quick Massage | 12h às 18h

Sinopse: Massagem rápidaexpressa como também é conhecida é uma técnica de massagem derivada das técnicas orientais Shiatsu e Anmá
Local: Deck da Udesc Ceart
Ministrante: Lucy Sakuraba
 

  • Reiki | 12h às 18h

Sinopse: É uma terapia japonesa capaz de revitalizar o corpo, podendo aliviar dor crônica, ansiedade e insônia.
Local: Deck da Udesc Ceart
Ministrante: Francisca Sato Kumada e equipe
 

> Apresentações Artísticas


  • Cerimônia Zen Budista | 14h

Sinopse: com Monge Tokushi do Jizen-ji, da Comunidade Zen Budista do Sul da Ilha. Cerimônia para os familiares e antepassados.
Local: Deck da Udesc Ceart
Classificação Indicativa: Livre
 

  • Taiko | 14h30

Sinopse: Taiko (tambor japonês) é um instrumento de percussão.
Local: Espaço 1 (DAC) – Udesc Ceart
Classificação Indicativa: Livre
Com: Shimadaiko é o grupo de taiko – tambores japoneses – de Florianópolis. Com início em 2005, já se apresentou diversas vezes em vários lugares da ilha, como e em outras cidades, como Itajaí e Blumenau. O nome do grupo, Shimadaiko, significa justamente ‘taiko da ilha’. Nas músicas os tambores são tocados de maneiras e posturas diferentes, pois o taiko é uma arte audiovisual, onde os movimentos contam para compor a beleza da apresentação, enquanto o som forte fala ao coração.
 

  • Escreva seu nome em Japonês | 15h

Sinopse: Iochihiko Kaneoya estará no Hall do Bloco Amarelo para escrever o seu nome em japonês.
Local: Hall do Bloco Amarelo (BAM) – Udesc Ceart
Classificação Indicativa: Livre
Com: Iochihiko Kaneoya, formado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP) e pesquisador da cultura japonesa.
 

  • Cerimônia do Chá | 15h

Sinopse: Com Teresa Sell, Marilene Pereira e Ethna Thaise
A cerimônia do Chá é uma atividade tradicional japonesa que teve origem entre monges budistas que costumavam tomá-lo durante as meditações. O tempo popularizou a atividade tornando-a arte independente. Consome-se o chá verde em pó pulverizado (matcha) que é preparado e servido aos convidados pelo mestre da cerimônia. A degustação do matcha foi introduzido no final do século 12 pelo monge Eisai. Nessa altura, o chá era uma bebida preciosa que era também usada para fins medicinais. O costume de beber matcha difundiu-se entre os sacerdotes dos templos Budistas e as classes superiores. No século 16, durante o período Momoyama, o costume alcançou outros grupos da sociedade japonesa. A cerimônia do chá é conhecida como chanoyu - que significa “água quente para chá”, também é conhecido como chadô ou sadô - que significa “ o caminho do chá”.
Local: Deck da Udesc Ceart
Classificação Indicativa: Livre
 

  • Mukashi Mukashi... O Teatro de Papel, com Cia. Caravana do Sonhar| 16h

Sinopse: Num mini palco de madeira, na garupa do Japão, a Cia. Caravana vem trazendo sobre rodas, uma antiga tradição... O kamishibai! Com histórias milenares de haikais e origamis, rouxinóis e samurais, e dragões celestiais... Era uma vez... duas lendas ancestrais de um Japão que não existe mais:  “Tsuru no Ongaeshi”, o pássaro do poente, história que fala de um sentimento raro e sagrado, a gratidão; e a lenda de "Kaguya Hime", a princesa da capital da Lua, encontrada quando bebê dentro do caule de um bambu brilhante.
Duração: 40 minutos
Local: Espaço 2 - Departamento de Artes Cênicas da Udesc Ceart
Classificação Indicativa: Livre
Com: Cia. Caravana do Sonhar. Criada em 2008, a Cia. Caravana é formada pela atriz, produtora cultural e contadora de histórias Alessandra Nascimento, pelo ilustrador e designer Milton Hurpia da Rocha, pelo contrarregra Rudinei de Sousa e pela jornalista e produtora cultural Jaqueline Dias.  Desde sua criação o grupo se dedica ao teatro e a arte de contar histórias. Desde 2011, a Cia. Caravana mantém pesquisas sobre a cultura japonesa, mais especificamente, sobre os mukashi banashi (contos e lendas japoneses), através dos quais chegou ao Kamishibai (Kami = papel, Shibai = Teatro).
 

  • A Fantástica Exposição de Zeca, com Trupe da Alegria | 17h

Sinopse: Na exposição de livros do Vô Zeca, em um dia de cada ano, os personagens ganham vida. Bia, a neta que não quer mais ler, é surpreendida por histórias de todos os cantos do mundo. A abertura de um livro proibido, entretanto, pode mudar o rumo dessa história e fazer com que os personagens fiquem presos no mundo real.
Duração: 50 minutos
Local: Espaço 1 (DAC) – Udesc Ceart
Classificação Indicativa: Livre
Com: Trupe da Alegria, um grupo teatral formado por profissionais da Educação Infantil do município de Florianópolis (SC) e dirigido pelo professor de teatro Diego de Medeiros Pereira da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), que com suas atividades de formação continuada e apresentação de espetáculos, é uma ação de extensão do “Programa Teatro e Infâncias” coordenado pelo prof. Diego. Desde sua fundação, em 2010, o grupo elaborou e apresentou cinco espetáculos voltados ao público infantil, apresentando-se para mais de 10 mil crianças, em cerca de 60 Núcleos de Educação Infantil do município de Florianópolis. A Trupe é composta, atualmente, por 19 profissionais da Educação Infantil e tem como intuito realizar uma formação de público a partir de trabalhos artísticos voltados ao universo das crianças, ao mesmo tempo em que aborda questões pedagógicas advindas do contexto em que os participantes da Trupe atuam.
 

  • Bon Odori, com Eliane Mizumoto, grupo Himawari e grupo Shimadaiko | 18h

Local: Entrada da Udesc Ceart
Classificação Indicativa: Livre
Realizadores: Eliane Mizumoto Fujita atuou com Danças Circulares, em Curitiba, por 10 anos, onde desenvolveu trabalhos ligados à Dança Circular de vários povos. Shimadaiko é o grupo de taiko – tambores japoneses – de Florianópolis. Com início em 2005, já se apresentou diversas vezes em vários lugares da ilha, como e em outras cidades, como Itajaí e Blumenau. O Grupo Himawari foi criado em março de 2019 a partir da vontade de Chie Mori em formar um grupo de dança japonesa em Florianópolis. Nasceu assim o Encontro com a Dança Japonesa que acontece todas as quintas-feiras, das 9h30 às 10h30, na Escola Livre de Artes.
 

> Exposições

 

  • Mottainai - Bordados Sashiko | 12h às 19h

Sinopse: Originalmente a palavra vem de mutai (無体), algo que não tem a forma que deveria ter, disforme, inadequada. Literalmente significa sem corpo, sem forma, imaterial, conceito utilizado pela doutrina budista da impermanência (tudo se transforma, nada é permanente, nenhum corpo é permanente). Essa ideia da imaterialidade coube também no panteísmo xintoísta cujas divindades não têm corpo material, são espíritos (os deuses estão em toda parte: habitam os mares, as florestas, os campos, os lares). No Período Muromachi (1336-1573) transformou-se em mottai, significando lamentável, não desejável, não bem-vindo. Mais tarde assumiu sua forma atual: mottainai. Indica desperdício, descarte de recursos ainda úteis, ou desproporção entre o recurso empregado, maior do que a necessidade.
Local: Hall de entrada da Udesc Ceart
Classificação Indicativa: Livre
 

  • A Lenda dos Mil Tsurus, do grupo Amigos do Origami | 12h às 19h

Sinopse: Tsuru é uma ave, espécie da família dos grous (cegonhas), nativa do Japão. Ninguém sabe desde quando existia uma lenda no Japão segundo a qual, aquele que fizesse mil tsurus de origami teria um pedido atendido pelos deuses.
Local: Hall do Bloco Amarelo (BAM) – Udesc Ceart
Classificação Indicativa: Livre
Curadoria: Marlene Torrinelli
 

  •  Shichigo San e brinquedo das crianças japonesas | 12h às 19h

Sinopse: Shichigosan (七五三) significa: Shichi (sete), Go (cinco) e San (três) e é o nome dado a um festival japonês comemorado por crianças que no ano em vigor completam 7, 5 e 3 anos. A data oficial é 15 de novembro.
Este festival para as crianças remonta ao Período Heian no Japão (794-1185). O evento tem algumas raízes muito tradicionais e rituais que são associados com os costumes da sociedade japonesa em diferentes momentos da história. Segundo a tradição, levar as crianças com essas idades aos templos para participarem da cerimônia fará com que elas ganhem proteção, saúde e sorte na vida.
Local: Hall do Bloco Amarelo (BAM) – Udesc Ceart
Classificação Indicativa: livre
Curadoria: Marlene Torrinelli
 

  • Quimonos das 4 estações | 12h às 19h


Sinopse: Exposição para compreensão da palestra de Chizuru Shimizu sobre o significado das estampas dos quimonos.
Local: Hall do Bloco Amarelo (BAM) – Udesc Ceart
Classificação Indicativa: Livre
Curadoria: Marlene Torrinelli
 

  • Um Toque de Fogo, de Marina Takase | 12h às 19h 

Sinopse:  Exposição de obras cerâmicas de Marina Takase. Curadoria de Rosana Bortolin. Para desenvolver suas criações em cerâmica, Marina Takase utiliza a técnica Engobe, de origem indígena. A produção consiste em modelar manualmente as obras, realizar o acabamento e, após atingir o ponto de couro (quando a peça está mais firme), desenhar, pintar e esgrafitar a argila. Depois de secas, as peças são queimadas em um forno à lenha. O nome “Um Toque de Fogo” é uma homenagem da artista ao elemento parceiro durante o processo de acabamento das obras, que transforma a argila em cerâmica.
Local: Hall da Reitoria da Udesc
Classificação Indicativa: livre
A artista: Marina Takase é ceramista e trabalha com cerâmicas há aproximadamente 25 anos. O início da sua trajetória como artista começou participando de feiras de artesanatos e algumas exposições. Suas obras são baseadas em formas orgânicas e contam com movimentos curvilíneos, além de técnicas como Engobe.
Curadoria: Rosana Bortolin
 

> Feiras

 

  • Feira da Culinária Japonesa | 12h às 18h

Local: Deck da Udesc Ceart
 

  • Feira de Arte, Moda e Artesanato da Cultura Japonesa | 12h às 18h

Horário: 12h às 18h
Local: Deck da Udesc Ceart
 

  • Feira de Alimentos Orgânicos | 12h às 18h

Local: Deck da Udesc Ceart
 

> Disponibilização de salas para estudos e ensaios | 13h às 18h

Para estudantes e comunidade externa. Verificar salas disponíveis no dia do evento, no setor de protocolo-recepção da Udesc Ceart. A utilização de laboratórios é condicionada à presença de técnico específico. Para verificar a disponibilidade dos laboratórios, é necessário enviar previamente e-mail para ceartaberto@gmail.com. Esta solicitação será priorizada para a utilização dos laboratórios por grupos (não solicitações individuais).
 

> Programação extra

 

  • Mostra de Filmes Japoneses | 15 e 16 de agosto


Túmulo dos Vagalumes, anime de Isao Takahata
Sinopse: Um dos filmes mais assistidos no Japão, Túmulo dos Vagalumes narra a história de dois irmãos que perdem tudo durante a Segunda Guerra Mundial. Este filme conta o outro lado da Guerra, sendo considerado um clássico.
Data: 15 de agosto
Horário: 17h
Local: Auditório do Bloco Amarelo (BAM) – Udesc Ceart
Duração: 93 minutos
Logo após o filme bate papo com Iochihiko Kaneoya sobre a Recuperação do Japão após desastres.

Rapsódia em Agosto, filme de Akira Kurosawa
Sinopse: Senhora japonesa de Nagasaki, marcada pelas lembranças da bomba, recebe sobrinho nipo-americano, filho de um irmão que foi para o Havaí depois da guerra. Seus netos ficam fascinados pelo moço, mas ele desperta sentimentos incômodos nela.
Data: 16 de agosto
Horário: 17h
Local: Auditório do Bloco Amarelo (BAM) – Udesc Ceart
Duração: 1h38
Logo após o filme haverá um bate papo com Iochihiko Kaneoya sobre a Religiosidade do Povo Japonês.
 

Serviço:

O QUE: Ceart Aberto à Comunidade - Edição especial "Bon Odori – Pela Vida, pela Paz, Hiroshima Nunca Mais!".
QUANDO: 10 de agosto (sábado), das 10h às 19h.
ONDE: Centro de Artes (Ceart) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). Av. Madre Benvenuta, 1907, Itacorubi, Florianópolis/SC.
QUANTO: Gratuito e aberto ao público.

Assessoria de Comunicação da Udesc Ceart
E-mail: comunicacao.ceart@udesc.br
Telefone: (48) 3664-8350

 

galeria de imagens
  • Imagem 1
 
ENDEREÇO
Av. Madre Benvenuta, 2007
Itacorubi, Florianópolis / SC
CEP: 88.035-901
CONTATO
Telefone: (48) 3664-8000
E-mail: comunicacao@udesc.br
Horário de atendimento: 13h às 19h